quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Dias a preto e branco...

Hoje o meu dia está a correr numa escala de cinzas (na verdade, mais perto do preto que do branco).

Estou aborrecida, infeliz e a precisar que me aconteça uma coisa muito BOA...

Estou há vários dias sem trabalhar (estou em recuperação do meu upgrade). Sim, decidi dar um retoque nas minhas meninas e acho que o resultado é interessante. Mas dói que se farta.

Por isso, vou tratar de ficar bem depressa até porque sei que alguns dos meus amigos estão com saudades minhas.

Beijinhos 

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Em cada Mulher uma Acompanhante

Ponderei durante algum tempo escrever sobre este tema porque não quero, de forma nenhuma, ofender os princípios e a dignidade de ninguém. Mas de facto, tenho sido abordada por muitas mulheres com "vidas normais", umas casadas outras mais ou menos, mas todas com um denominador comum - fantasiam em ser Acompanhantes pelo menos uma vez na vida.

Acredito que este fenómeno esteja intimamente relacionado com as reportagens que ocasionalmente vão aparecendo nas revistas de actualidades e que retratam a nossa actividade como uma vida de luxúria - muito dinheiro, jóias, perfumes caros, hóteis de luxo, clientes tipo "Pretty Woman"...

Talvez haja um punhado de meninas de elite que se revejam nestes relatos mas a maioria das Acompanhantes vive bem longe deste mundo de faz de conta.

É verdade que ganhamos muito dinheiro - umas mais que outras como em todas as profissões. É verdade que há clientes fantásticos que têm a capacidade de nos fazer esquecer que somos Acompanhantes e nos fazem sentir Mulheres. É verdade que uma rosa nos faz sorrir...

Mas também há o reverso da medalha.
Há clientes que fazem questão de nos lembrar que estamos a ser pagas e que não somos nada mais do que aquilo que representamos para eles - uma prostituta. Há clientes que não são simpáticos o suficiente para aceitarem de bom grado o cumprimento das normas mais básicas da convivência entre duas pessoas (leia-se normas de higiene ou de sexo seguro). E há, o que para mim, é o preço mais alto que se paga por se desempenhar uma profissão tão bem remunerada - o confronto com o espelho.

Se há dias em que te sentes a mulher mais sensual do planeta, há outros em que pensas: "Se és assim tão bonita, simpática, inteligente (e aquelas coisas simpáticas que vamos ouvindo quase diariamente), o que diabo estás aqui a fazer?"

E não encontras, ou preferes ignorar a resposta...

Divirtam-se...



O que queres ser quando fores grande?

E se a menina de ar inocente e infantil a quem fez esta pergunta lhe respondesse:

- Quero ser Acompanhante!

O que pensaria? O que sentiria?

Todas as meninas, nas suas brincadeiras de infância, querem ser mães, professoras, cabeleireiras, médicas... Nenhuma sonha em viver nesta espécie de mundo paralelo que é a actividade de Acompanhante. E ainda bem!!! Já imaginaram se a menina lhe perguntasse, a si, o que é uma Acompanhante?

O que lhe diria?

Versão sonhadora: É uma mulher parecida com o Aladino... Quando temos um desejo, ela realiza-o...

Versão romântica: É uma namorada que não diz que estamos atrasados ou que nos esquecemos do aniversário da melhor amiga e que nos faz passar uns momentos muito coloridos.

Versão objectiva: É uma massagista que cuida do bem estar dos clientes - massaja-lhes o corpo para que se sintam bem na mente.

Versão hardcore: Não vai dizer isso à menina, pois não????????

Uma Acompanhante é qualquer coisa realmente difícil de definir. Por absurdo que pareça, se tivesse que escolher um objecto para ilustrar esta definição, escolheria um canivete suíço - serve para quase tudo, dependendo da necessidade, do local ou da vontade.

A ideia de que uma Acompanhante serve unicamente para fazer sexo é demasiado redutora. Diria quase castrante. Se analisarmos a palavra Acompanhante, chegaremos uma redundante conclusão - aquela que acompanha. Mas, se pensarmos bem, esta curta definição está cheia de significado.

Falo por mim.
Ás vezes, a maior parte das vezes, procuram-me para uma hora de sexo - com envolvência, com paixão, com vontade mas sem compromissos...
Outras tantas vezes, sou procurada pela companhia, por alguém que quer conversar sem ter de se preocupar com o que pensa quem o ouve... Afinal, depois de fechada a porta, o capítulo fica encerrado.
Há ainda o mundo da fantasia: a secretária para um jantar de negócios; a namorada para uma visita a um bar de swing; a parceira para a concretização de um fetiche...

Gostava de estar errada mas, ainda que, por instantes, aqueles que nos procuram tenham a capacidade de nos fazer sentir especiais, no momento em que depositam o preço devido algures na mesa de cabeceira, não somos mais do que Prostitutas.

Tenham um bom dia!




Anna G - Vidas Paralelas

E por que não?

Parece-me o momento certo para, de uma forma efémera, perpetuar momentos da vida de uma mulher.

Uma mulher em nada diferente daquelas com que todos os dias se cruza a caminho do trabalho ou quando vai às compras ao centro comercial. Uma mulher que pode ser a colega que trabalha na secretária ao lado, a empregada da loja onde vai comprar uma lingerie para alguém especial, a cliente seguinte na fila do supermercado... O que faz de mim uma mulher diferente do "modelo" das mulheres comuns?

Quase nada!

Todas temos vidas paralelas, todas temos segredos, fantasias, desejos por revelar, por concretizar, por desejar. Umas vezes falta-nos tempo, outras vezes coragem. Muitas vezes o conforto da "normalidade" amordaça a vontade de percorrer a aventura do conhecimento de nós próprias - e há sempre tanto que desconhecemos...

Acredito que são as as circunstâncias da nossa existência que nos conduzem a vidas paralelas. Uns chamam-lhe destino, outros sorte ou azar. Eu acredito que por mais vidas paralelas que cada um de nós tenha, todos partihamos um objectivo comum - a procura da felicidade.

O meu caminho trouxe-me até aqui. E numa das linhas que cruza a minha existência, tornei-me Acompanhante (seja lá isso o que for).

Sejam felizes.

Anna G